Judiciário
Em articulação para ser indicado ao STF, Aras tenta emplacar Eitel Santiago na PGR
05/07/2021 18:11
Suetoni Souto Maior
Eitel Santiago foi "desaposentado" recentemente por Augusto Aras. Foto: Divulgação

Os bastidores da disputa pela vaga que está prestes a ser aberta no Supremo Tribunal Federal (STF), com a aposentadoria do ministro Marco Aurélio Mello, estão fervilhando em Brasília. Uma das articulações, inclusive, poderá guindar o paraibano Eitel Santiago à condição de procurador-geral da República. Esta movimentação, inclusive, vem ganhando força na agenda do atual PGR, Augusto Aras, amigo de longas datas do paraibano. Aras sonha com o cargo de Mello e há quem o veja em condições melhores que o ministro da AGU (Advocacia-Geral da União), André Mendonça.

A tese trabalhada nos bastidores é a de que Mendonça tem resistência dos senadores e a indicação do ministro “terrivelmente evangélico” poderia ficar congelada nas gavetas do Senado por conta disso. Nada muito diferente do ocorrido nos Estados Unidos, onde um nome apresentado por Barack Obama foi para a geladeira e sobrou para Donald Trump refazer a indicação e proceder a nomeação da conservadora Amy Coney Barrett para a Suprema Corte dos Estados Unidos. Neste cenário, sobraria espaço para Eitel Santiago.

Algumas providências recentes adotadas por Aras apontam neste sentido. Eitel Santiago estava aposentado e ocupando a secretaria-geral da PGR. O atual procurador-geral da República, então, publicou um ato fazendo a “desaposentadoria” do paraibano. Reintegrado ao Ministério Público Federal, ele voltou a ocupar o cargo de subprocurador-geral da República. Mas não parou por aí. Na última sexta-feira (2), ele foi nomeado secretário de Relações Institucionais do Gabinete do PGR, uma função mais política.

O fato de não ser bem quisto por grande parte dos colegas não seria um empecilho para Santiago. Em 2017, quando disputou o cargo na eleição promovida pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), ele ficou de fora da lista tríplice. Uma nova disputa vai ser iniciada nos próximos dias, porém, ninguém imagina que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vá se prender à lista, coisa que só aconteceu durante os governos petistas. Augusto Aras foi escolhido por Bolsonaro em 2019 sem constar na lista tríplice, vale lembrar.

Conta a favor de Eitel Santiago o fato de ser bolsonarista e pertencer a uma família que teve estreita relação com o regime militar. Ele se aposentou em 2017, após ser preterido na disputa pelo cargo de procurador-geral da República. Depois disso, disputou a eleição para deputado federal, mas conseguiu apenas 9.546 votos nas urnas e não foi eleito. No ano seguinte, já fora da política, assumiu o cargo na Secretaria-Geral da PGR, a convite de Augusto Aras. As articulações estão em curso, em Brasília, para o novo projeto. Resta agora saber se houve combinação com os russos.

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://abre.ai/suetoni

Palavras Chave