Judiciário
Veja lista das pessoas e empresas alvos da operação Bleeder, desencadeada pela Polícia Federal e pela CGU
18/11/2021 08:38
Suetoni Souto Maior
Suspeitos teriam usado empresas de fachada para fraudar licitações e desviar recursos. Foto: Divulgação/PF

Vinte e seis pessoas e cinco empresas se tornaram alvos da operação Bleeder, desencadeada pela Polícia Federal e pela Controladoria Geral da União (CGU) nesta quinta-feira (18) em municípios da Paraíba e Ceará. A ação e fruto das investigações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Federal (MPF). Ao todo, foram autorizados 34 mandados de busca e aprensão em empresas e endereços dos empresários. As cidades foram João Pessoa, Campina Grande, Patos, Paulista e Pombal, na Paraíba, além de Juazeiro do Norte, no Ceará.

Pessoas investigadas

JOAO FEITOSA LEITE
HELANE MARNE FEITOSA NUNES
FRANCISCO FEITOSA PALITOT NETO
JOAO FEITOSA LEITE JUNIOR
MANUEL ALVES DOS SANTOS
MARIA DO SOCORRO GOMES DE ALMEIDA ALVES
PETRONIO GOMES DE ALMEIDA
TACIZIO LEITE DANTAS
LILIANE ELIAS DE ALENCAR
RODNEY ROB DE QUEIROGA FREITAS
RAIMUNDO QUEIROGA NETO
JOSE ROBERTO DE QUEIROGA GOMES
JOSE ROBERTO DE QUEIROGA GOMES SEGUNDO
MAXWELL BRIAN SOARES DE LACERDA
PANTALIAO PEREIRA DE SOUSA
RAIMILSON TADEU DA SILVA PEREIRA
FRANCINILDA ALMEIDA DA SILVA
JORGE LUIZ LOPES DOS SANTOS
SANDRO CASSIO DE OLIVEIRA NUNES
KILLYS MARQUES ANDRADE MORORO
HEACKEL JANNIERE DE SOUSA RAMALHO
DENILSON PEREIRA RODRIGUES
MARIA DO SOCORRO TRAJANO DE SOUSA
SEBASTIAO QUEIROGA FILHO
DAMIAO ALLISSON CAVALCANTE DINIZ
CELSO MAMEDE LIMA

Empresas investigadas

PONTAIS SERVICOS DE PROJETOS E CONSTRUCOES LTDA
INOVA CONSTRUCOES E EMPREENDIMENTOS EIRELI
CONSTRUDANTAS CONSTRUCAO E INCORPORACAO LTDA
VIGA ENGENHARIA EIRELI
ACCOCIL CONSTRUCOES E LOCACOES EIRELI
WJ ENGENHARIA LTDA – EPP
NTZ CONSTRUTORA E LOCAÇÕES LTDA –
ITAJUNSATA ENGENHARIA E SERVIÇOS EIRELI

As linhas de investigação desenvolvidas a partir do aprofundamento da análise dos elementos de prova obtidos nas cinco fases anteriores da Operação Recidiva indicam a possível prática dos crimes de desvio de recursos públicos, fraude licitatória, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva, além de outros que venham a ser descobertos no bojo da investigação. As irregularidades investigadas apontam para desvios de recursos destinados à construção de açudes em áreas castigadas pelos longos períodos de estiagem, prejudicando o acesso à água pela população carente do interior paraibano.

A principal hipótese em investigação é a de que, em todas as obras, empresas de fachada venciam as licitações fraudadas e, por meio do pagamento de suborno a agentes públicos, executavam construção de açudes que continham grandes percentuais de desvios de recursos públicos. A organização criminosa girava em torno de investigados que desempenhavam, concomitantemente, as funções de construtores e fiscais das obras, possibilitando o desvio dos recursos. De acordo com as investigações, com o falecimento de um dos principais investigados, seus dois filhos, também engenheiros, assumiram as principais ações da organização criminosa.

Foram realizadas fiscalizações em relação às obras de açudes e barragens nos municípios de Aguiar, Brejo do Cruz, Emas, Gado Bravo, Ingá, Itaporanga, Pedra Branca, Riachão do Bacamarte, Santana de Mangueira, São Bento e São José de Caiana, assim como realizados levantamentos de dados em relação a obras dos municípios de Aguiar, Alcantil, Bananeiras, Monteiro, Parari e Serra Grande. Segundo a CGU, as obras investigadas totalizam, aproximadamente, R$ 79 milhões, tendo sido constatados indícios de sobrepreço e superfaturamento nos montantes de R$ 13,3 milhões e 8,2 milhões, respectivamente.

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://abre.ai/suetoni

Palavras Chave