Executivo
Tucanos evitam erro de 2018 e escolhem candidato a 15 meses da eleição
29/07/2021 14:27
Suetoni Souto Maior
Tucanos concedem entrevista coletiva para acabar com especulações sobre 2022. Foto: Reprodução

Os tucanos, na Paraíba, fecharam questão nesta quinta-feira (29) em torno da pré-candidatura de Romero Rodrigues (PSD) a governador do Estado, no pleito do ano que vem. O anúncio foi feito durante entrevista coletiva com a participação do ex-governador e ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB). A posição, curiosamente, foi anunciada depois de muita especulação em torno de uma possível aproximação do grupo liderado pelo ex-parlamentar com o senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB).

Antes das especulações, os tucanos assumiam postura dúbia em relação ao posicionamento político do grupo. Se tinha Romero em busca de apoios para a disputa, o partido pregava a disposição de lançar o deputado federal Pedro Cunha Lima para o pleito. A movimentação, inclusive, vinha descontentando o grupo de Romero Rodrigues, que trabalha para congregar o maior leque possível entre os militantes da oposição. O ex-prefeito pretende reunir em torno de si os grupos que vão do centro à direita ou extrema-direita no Estado.

A demora para a definição de um candidato foi apontada como o grande erro do grupo, em 2018. Com a campanha eleitoral mais curta, com apenas 45 dias, o trabalho intenso de busca de apoios precisa ser iniciado bem antes. Este não foi o caso. O próprio Romero ensaiava a saída da prefeitura para a disputa e tinha como adversários internos o ex-prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), e Cássio. Cartaxo fez cobranças pela definição, que demorou e depois nenhum dos nomes cotados quis entrar na disputa. Sobrou para Lucélio Cartaxo, irmão de Luciano e ele foi derrotado.

Para o pleito atual, Cássio deixa claro que deverá ser candidato a algum cargo nas eleições de 2022. Fica evidente, no entanto, que não será ao de governo, que já tem Romero como postulante de consenso. Com a definição, as especulações sobre aproximação com Veneziano caem por terra e a preocupação do grupo, agora, será a negociação com os partidos alinhados de forma mais fidelizada com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Entre eles aparece o PTB, do comunicador Nilvan Ferreira, e Patriota, do deputado estadual Wallber Virgolino.

Em entrevista recente, à rádio Arapuan, o presidente declarou amor a Romero Rodrigues, apontando o presidente estadual do PSD como seu candidato na Paraíba. O presidente previu, também, que haverá polarização na Paraíba, assim como é esperado no plano nacional. Apesar do desejo do presidente, o pessedista tem planos de assumir postura de centro, para ter condições de construir um palanque mais robusto. O principal adversário, no Estado, será o governador João Azevêdo (Cidadania), que trabalha para o ter o apoio do ex-presidente Lula (PT).

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://abre.ai/suetoni

Palavras Chave