Judiciário
Mandante do crime e executor são condenados pelo assassinato do ex-prefeito de Bayeux
08/04/2022 09:40
Suetoni Souto Maior
Expedito Pereira foi morto enquanto caminhava por rua de João Pessoa. Foto: Divulgação

O mandante e o executor do assassinato do ex-prefeito de Bayeux, Expedito Pereira, foram considerados culpados durante na madrugada desta sexta-feira (8) pelos membros do 1º Tribunal do Júri da Comarca de João Pessoa. O juiz Marcos William de Oliveira impôs pena de 24 anos de prisão contra Leon Nascimento dos Santos e 20 anos contra José Ricardo Alves Pereira. Este último era sobrinho de Pereira e considerado um filho para ele, de acordo com informações dos familiares. O suspeito de ter emprestado a moto usada no crime, Gean Carlos da Silva, conseguiu autorização para ser julgado em outra data.

Leon, acusado de ter puxado o gatilho, confessou o crime, mas tentou um atenuante, alegando que foi obrigado a matar o ex-prefeito. Ele demonstrou arrependimento pelo crime e disse que agiu com covardia. O assassino disse ainda que José Ricardo, sobrinho de Expedito Pereira, tinha feito ameaças e ordenado que o crime fosse cometido. Já o parente do ex-prefeito alegou que não tinha qualquer motivo para cometer o crime. O sobrinho alegou, sem convencer o jurado, que foi um “bode expiatório” e que está sendo “vítima de inveja, de ciúme”.

Expedito Pereira foi assassinado em dezembro de 2020. O crime aconteceu na Avenia Sapé, no bairro de Manaíra. A vítima foi atingida por dois disparos de arma de fogo, após aproximação do executor, que trafegava pela via pilotando uma motocicleta. Dois suspeitos estão presos e um está foragido.

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://abre.ai/suetoni

Palavras Chave