Executivo
Críticas de Bruno a João Azevêdo reacendem Fla-Flu entre JP e CG
08/03/2021 10:39
Suetoni Souto Maior
Bruno Farias acusa o prefeito de Campina Grande de criar fake news. Foto: Olenildo Nascimento/CMJP

O prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD), mirou o governador João Azevêdo (Cidadania) em suas críticas e acertou no prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (Progressitas). O resultado disso foi uma resposta do líder do prefeito na Câmara da Capital, Bruno Farias (Cidadania), e sabe Deus o que vem depois disso. As queixas do prefeito campinense vêm ocorrendo desde o sábado (6), por causa do rebaixamento da cidade no Plano Novo Normal, elaborado pelo governo do Estado.

Campina Grande tinha classificação amarela e agora regrediu para o laranja, que é mais restritiva. Para se ter uma ideia, a cidade passa a ser submetida a restrições como o toque de recolher a partir das 22h. O gestor, por outro lado, alegou que o município comandado por ele está sendo punido e traçou comparativos de Campina Grande com João Pessoa. A comparação criou uma saia justíssima e reacendeu a velha rixa entre as duas principais cidades paraibanas.

Bruno Farias acusou o gestor campinense de criar fake news ao se referir aos leitos de Unidades de Terapia Intensiva de João Pessoa. “O prefeito de Campina, talvez induzido ao erro, disse que o hospital Santa Isabel reduziu o número de vagas de UTI de 40 para 20. Essa informação não procede; Isso é uma fake news! O plano de contingência da unidade na gestão Cartaxo previa 50 leitos de UTI para o Ministério da Saúde, mas era pura ficção. E nunca chegou a 20. Só recebemos 10”.

Bruno alega ainda que “em poucos dias, Cícero abriu mais 60 vagas em uma única unidade hospitalar, sem falar das 25 novas que estão sendo abertas no Pronto Vida”. O líder explicou que, ao contrário do que o prefeito de Campina Grande falou, “a rede municipal conta agora com 227 leitos exclusivos para Covid-19, sendo 100 de UTI, 95 de enfermaria e 32 de estabilização”. “Sem falar que Cícero e Leo abriram 5 novas usinas de oxigênio, o que exigiu a adequação das UPAS e hospitais”, esclareceu.

De acordo com a 20ª avaliação do Plano Novo Normal Paraíba (PNNPB), divulgada nesse sábado (6), 95% (211) dos municípios paraibanos estão em bandeira laranja; 4% (8 municípios) figuram em bandeira vermelha e apenas 4 municípios têm bandeira amarela, representando uma redução de 97% em relação à avaliação anterior, a menor participação desta bandeira desde o início dos ciclos avaliativos do PNNPB. Já são 229.194 casos de coronavírus e 4.679 óbitos.

Palavras Chave