Executivo
Covid-19: presidente da Famup diz que prefeitos vivem terror e vão endurecer isolamento
19/03/2021 12:18
Suetoni Souto Maior
George Coelho diz que os prefeitos temem elevação no números e mortes. Foto: Divulgação

O presidente da Federação dos Municípios da Paraíba (Famup), George Coelho (Cidadania), descreveu, em conversa com o blog, um quadro de grande apreensão entre os prefeitos do Estado. Segundo ele, os gestores municipais de muitas cidades vão endurecer ainda mais as regras de isolamento social. O motivo, ele reforça, é o risco iminente de mortes causadas pela Covid-19. A doença já matou 5.123 pessoas no Estado e há riscos de potencialização dos números por causa da lotação das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

E ele tem razão por pensar assim. Atualmente, a ocupação nos leitos de UTI é superior a 82%. O quadro é mais grave no Sertão, onde 95% dos leitos estão ocupados. A situação é complicada também na Região Metropolitana de João Pessoa, com 90% de lotação. Já Campina Grande, mesmo em situação melhor, o quadro assusta, com 82% de lotação. O cenário tem feito com que vários prefeitos se apressem em adotar medidas mais duras que as adotadas pelo governo do Estado, no decreto editado na semana passada.

Em Uiraúna, a prefeita Leninha Gusmão decidiu instituir um lockdown de 48 horas. Ninguém pode sair de casa entre as 5h do sábado e as 5h da segunda-feira. O toque de recolher mais rígido foi adotado em todos os municípios, mas alguns com horário ainda mais elástico. Em Serra da Raiz, por exemplo, ele vai das 20h às 5h e ainda tem um carro de som com sirene imitando a da polícia. O desespero dos gestores é justamente porque se alguém precisar ser internado, o risco de morte é gigante, pois falta espaço nas UTIs.

George Coelho diz que houve mudança nos dias de feira em várias cidades e maior fiscalização imposta pelas prefeituras. A Paraíba entrou no momento mais agudo da pandemia, com um número crescente de mortes todos os dias. Há pelo menos um mês, os patamares de mortes diárias passaram dos pouco mais de 20 para marcas superiores a 40 mortes por dia. O recorde, até o momento, foi de 59 mortes registradas em um único dia no Estado, registrado nesta semana.

O momento é de tomar cuidado.

Palavras Chave