Executivo
Com espaço incerto no MDB e de olho em 22, Nilvan avança em ‘namoro’ com PSDB
06/05/2021 17:29
Suetoni Souto Maior
Nilvan Ferreira durante a campanha eleitoral do ano passado. Foto: Divulgação

O comunicador Nilvan Ferreira tem olhado para 2022 com certa ambição. Deseja disputar novamente um cargo eletivo, seja na majoritária ou na proporcional. A ida para o segundo turno na disputa pela prefeitura de João Pessoa, no ano passado, fez com que o hoje emedebista ganhasse cancha e passasse a ter o passe disputado por outras siglas. No MDB, sob nova direção, o ambiente é de incertezas sobre o futuro. Já sobre o PSDB, o cenário parece mais confortável para o comunicador.

Procurado pelo blog, Nilvan evitou conjecturas sólidas sobre o futuro. Está no MDB e não tem certeza sobre a saída do partido. Diz que vai decidir na hora certa. Ele entrou na sigla pelas mãos do senador José Maranhão, falecido no final do ano passado. O partido, hoje, está sob o domínio de outra liderança formada pela sigla: o senador Veneziano Vital do Rêgo. Veneziano, diga-se de passagem, foi repatriado para a agremiação depois de anos militando em projetos políticos divergentes. A chegada dele, por isso, veio acompanhada de novos rumos para os emedebistas.

O partido passou de oposição ao governador João Azevêdo (Cidadania) a aliado. Corroborou para isso o alinhamento entre o ex-governador Roberto Paulino e o chefe do Executivo. Com ele veio também o deputado estadual Raniery Paulino. Com isso, o discurso de oposição construído sob José Maranhão se perdeu. Procurados pelo blog, tanto Veneziano quanto Raniery evitaram falar em saída de Nilvan. Eles não negam, porém, que os novos ares no partido geram dificuldades para o ex-candidato a prefeito. Alegam ser preciso dialogar.

De acordo com Veneziano Vital, ele vai buscar o diálogo com Nilvan para analisar convergências e divergências e se é possível encontrar um ponto de alinhamento. Este diálogo, pelo que o ex-candidato a prefeito de João Pessoa diz a pessoas próximas, não será dificultado. Ele, por outro lado, tem sentado com várias lideranças que antagonizam com o governador. A lista inclui os deputados Walber Virgolino (Patriotas) e Cabo Gilberto (PSL). Houve ainda uma conversa demorada e aparentemente frutífera com o deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB).

O ninho tucano, ao que parece, tem se desenhado como ambiente propício para o comunicador. Nilvan tem dito que não tem feito debate personificado “contra alguém”. Isso indicaria que ele poderia estar em um partido aliado do governador, porém, a dificuldade para a convergência salta os olhos quando ele diz que precisará manter consonância com o que defendeu no ano passado. Ou seja, em 2020, na disputa eleitoral, Nilvan defendeu a pauta alinhada ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Isso dificulta o ambiente no MDB.

Quanto ao PSDB da Paraíba, o alinhamento com o discurso do presidente não seria um problema. A sigla, inclusive, indicou ao governo federal o representante da Sudene (Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste). As conversas vêm sendo conduzidas por Pedro Cunha Lima e, ao que parece, avançaram. O único problema que poderia existir era uma eventual oposição do deputado federal Ruy Carneiro. Procurado pelo blog, ele disse que não teria dificuldade de convivência com o comunicador.

Nilvan lembra que apesar de não ter sido apoiado por Ruy Carneiro no ano passado, no segundo turno, recebeu o reforço do PSDB na campanha. Houve também empenho de Zé Gadelha (PSC), que disputou a vice de Ruy. Ou seja, não será por falta de ambiente favorável que Nilvan Ferreira deixará de se acomodar no ninho tucano. A disposição para a disputa já ficou claro que ele tem. Falta agora entrar escolher o partido.

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://abre.ai/suetoni

Palavras Chave