Judiciário
Atos terroristas: indicados por Bolsonaro, apenas Kássio e Mendonça foram contra afastamento de Ibaneis e prisão de Anderson Torres
12/01/2023 08:31
Suetoni Souto Maior
André Mendonça se posicionou contra prisão de Anderson Torres. Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr

Apenas dois ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) foram contra o afastamento de Ibaneis Rocha (MDB) do comando do Distrito Federal e a prisão do ex-ministro Anderson Torres. O caso foi submetido ao Plenário Virtual da Corte, com votação encerrada às 23h59 desta quarta-feira (11). As duas decisões foram tomadas monocraticamente, num primeiro momento, pelo ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito dos atos antidemocraticos. O placar final foi de 9 votos favoráveis contra 2 pela manutenção do afastamento e da prisão, ainda não concretizada.

Os únicos que votaram contra foram os ministros Kássio Nunes Marques e André Mendonça. Não por acaso, os dois foram indicados pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), aliado de Anderson e Ibaneis. As decisões de Moraes foram tomadas nas primeiras horas depois do ataque terrorista às sedes dos Três Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário), em Brasília, no último domingo (8). Mais de 1,5 mil apoiadores do ex-presidente foram presos em decorrência dos ataques. Na fase atual, a busca tem sido pelos patrocinadores dos atos.

Votaram para manter as decisões:

. Gilmar Mendes

. Edson Fachin

. Cármen Lúcia

. Dias Toffoli

. Luís Roberto Barroso

. Luiz Fux

. Ricardo Lewandowski

. Rosa Weber

Moraes afastou Ibaneis na madrugada da última segunda (9), apontando o descaso e a conivência do governador com os atos golpistas que estavam sendo planejados em Brasília no domingo (8). O governador, escreveu Moraes, “não só deu declarações públicas defendendo uma falsa ‘livre manifestação política em Brasília’ como também ignorou todos os apelos das autoridades para a realização de um plano de segurança semelhante aos realizados nos últimos dois anos em 7 de setembro”.

Nos dois feriados, o governador restringiu a entrada de pessoas na Praça dos Três Poderes, o que não ocorreu no domingo (8). Já Torres teve sua prisão ordenada na última terça (10). Além da prisão, Moraes também autorizou buscas na residência do ex-ministro do governo Bolsonaro, que estava nos Estados Unidos no dia dos atos terroristas na capital federal.

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://abre.ai/suetoni

Palavras Chave