Executivo
“Se passar a bola, eu faço gol de placa”, diz Ciro em Campina Grande ao ser perguntado sobre 2º turno
16/09/2022 14:58
Suetoni Souto Maior
Ciro Gomes usou bandeira do Brasil durante caminhada. Foto: Divulgação

O presidenciável Ciro Gomes (PDT) cumpriu agenda em Campina Grande, nesta sexta-feira (16). Ele caminhou ao lado do deputado federal e candidato ao governo, Pedro Cunha Lima (PSDB), e fez coro com pedido de voto para o tucano. O movimento do pedetista ocorre apesar de Pedro ter anunciado, recentemente, apoio a Simone Tebet (MDB), candidata apoiada pelo partido dele. Mesmo assim, Gomes percorreu ruas ao lado de Pedro e demonstrou um injustificável otimismo em relação à possibilidade de ir para o segundo turno. Atualmente, ele está em terceiro nas pesquisas, mas muito atrás de Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PL).

Ao ser questionado sobre a possiblidade de segundo turno, ele disse que luta “e confia porque é necessário”. “Você vê. Eu tô aqui, amanheci no Recife. Aqui em Campina Grande, capital do sertão do Nordeste, destaque da indústria brasileira. Daqui vou para Belém, discutir com o povo a Amazônia, sobre a grande e grave crise que se abateu a Amazônia. Todo o socorrista industrial, quando supria a contradição absolutamente absurda entre produzir e preservar, ver uma solução para isso. E à noite, eu vou para Macapá”, disse.

Ciro Gomes recorreu ao jargão do futebol para falar da possibilidade de passar ao segundo turno. “Eu tô me deslocando, tô fora da linha de impedimento, não sou ladrão, não tenho que responder acusação sobre corrupção. Tô pedindo a bola, tenho experiência, já fui artilheiro, tô no ponto. Se passar a bola, eu faço gol de placa e faço gol com confiança no futuro”, disse. O pedetista também falaou de crédito para os mais pobres e taxação dos ultraricos.

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://abre.ai/suetoni

Palavras Chave