Executivo
Lígia candidata ao governo e Damião filiado ao PT para a disputa de 2022? Os bastidores estão fervilhando
23/12/2021 19:07
Suetoni Souto Maior
Reprodução/Instagram

Quem está acostumado a análises muito cartesianas da política vai ter dificuldade para entender as articulações que estão em curso na Paraíba, visando as eleições do próximo ano. Uma delas aponta para o lançamento da pré-candidatura da vice-governadora Lígia Feliciano (PDT) para a disputa do governo no ano que vem em chapa adversária à de João Azevêdo (Cidadania), que tentará a reeleição. Este, eu admito, é um quadro escancarado desde que o partido entregou os cargos no governo e do tom crítico dela à gestão atual. A surpresa está mesmo no destino do deputado federal Damião Feliciano. Ele poderá trocar o PDT pelo PT.

O cenário ocupa, por enquanto, o campo das possibilidades, mas já entrou na conta de lideranças do PT e do PDT. Os dois partidos têm se entendido no Estado para trilhar um caminho conjunto em 2022. Algumas questões vão depender da conjuntura nacional para serem colocadas em prática na Paraíba. Uma delas diz respeito à integração do PDT à federação partidária que o PT pretende formar com a participação de PSB, PCdoB e PV, com espaço ainda para abrigar Rede e Psol. Para isso, os pedetistas precisarão efetivar a retirada da pré-candidatura do ex-ministro Ciro Gomes à Presidência.

O sentimento dentro do partido em relação a Ciro é que ele não decola e vem caindo nas pesquisas. O quadro se tornou mais nebuloso com a entrada do ex-juiz Sérgio Moro (Podemos) na disputa e a cristalização da liderança de Lula (PT) apontada pelos institutos de pesquisa. No plano estadual, a movimentação de Lígia com críticas ao governo de João Azevêdo e declarações de que “a Paraíba vai voltar a sorrir” agradou os petistas. Ela foi vice durante a segunda gestão do ex-governador Ricardo Coutinho, que trocou o PSB pelo PT e articula a composição.

Com a possibilidade da criação da federação partidária em curso, informações de bastidores indicam que Damião Feliciano poderá trocar de casa, assinando a ficha de filiação do PT no Estado. Para a majoritária, Lígia encabeçaria a chapa e teria Ricardo Coutinho como candidato ao Senado, caso ele consiga um efeito suspensivo sobre a inelegibilidade decidida pelo Tribunal Superior Eleitoral. O ex-prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PT), que hoje se apresenta como potencial candidato ao governo, neste caso, deverá ir para a disputa de um cargo de deputado estadual.

As articulações estão em curso e, dependendo da articulação nacional, muitas surpresas ainda serão vistas na política paraibana.

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://abre.ai/suetoni

Palavras Chave