Judiciário
“Farra dos fantasmas” faz TCE imputar débito de R$ 382 mil contra Leto Viana
21/04/2021 17:21
Suetoni Souto Maior
Leto Viana é acusado de ter mantido servidores fantasmas na prefeitura. Foto: Divulgação

Acabou saindo barato para o ex-prefeito de Cabedelo, Leto Viana (PRP). Em julgamento do Tribunal de Contas do Estado (TCE), nesta quarta-feira (21), ele teve rejeitados os balancetes referentes a 2018. Motivo: a “farra” na contratação de servidores fantasmas no município. O débito imputado pelo órgão de controle foi de R$ 382 mil. O ex-gestor foi afastado do cargo em abril daquele ano, após a deflagração da operação Xeque-Mate, realizada em conjunto pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público da Paraíba, e pela Polícia Federal.

Os servidores fantasmas, segundo a apuração do Gaeco e da PF, eram obrigados a entregar ao próprio prefeito a maior parte dos salários recebidos sem a devida contraprestação do serviço. Os casos foram confessados pelo próprio Leto Viana, anos depois em depoimento em juízo. O prejuízo estimado mensalmente era de R$ 1 milhão para os cofres públicos da cidade portuária. As contas foram feitas pelo sucessor, Vítor Hugo (DEM), que providenciou a demissão dos fantasmas.

Leia também

. 40 mil paraibanos já deveriam ter recebido a segunda dose da vacina contra a Covid-19

. STJ estende a três réus da Calvário benefício concedido a Ricardo

O julgamento do TCE desta quarta-feira (21) apreciou também as contas do atual prefeito. No caso de Vítor Hugo, o gestor conseguiu rebater praticamente todas inconsistências apontadas pela auditoria do tribunal. Ao todo, o relatório apontava irregularidades que resultariam em débito superior a R$ 2 milhões. A defesa do gestor, no entanto, rebateu os pontos levantados pelos auditores. No final, houve a imputação de débito de R$ 48 mil contra o prefeito por suposta irregularidade em uma medição no contrato para a pavimentação de ruas.

Vítor Hugo disse que vai recorrer da decisão e se mostrou confiante de que conseguirá ter aprovadas as contas referentes ao período de interinidade no cargo, em 2018. Ele substituiu Leto Viana após o então prefeito ser preso na operação Xeque-Mate.

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://chat.whatsapp.com/LjSHneKlLUKKzBM0oa0Lpd

Palavras Chave