Executivo
Enfim, o Cafuçu. Após dois anos de pandemia, Folia de Rua prova que pessoense gosta e sabe fazer Carnaval
17/02/2023 07:22
Suetoni Souto Maior
Alegria e irreverência do folião pessoense volta às ruas da cidade após dois anos sem carnaval. Foto: Divulgação/Secom-JP

O Folia de Rua deste ano tem tido um gosto especial para grande parte das pessoas com quem conversei nos últimos dias. É meio que uma virada de página em relação ao clima de dor que vivemos nos dois últimos anos, período em que a folia deu lugar ao sentimento da perda de pessoas queridas para a Covid. Talvez por isso, assim como eu, um número grande de foliões têm participado ativamente dos blocos neste ano. O presidente da Associação Folia de Rua, Sérgio Nóbrega, deu métrica a essa contagem. Disse ao blog que mais de 1,5 milhão de pessoas já saíram às ruas para os festejos.

O número de participantes não é preciso desde que a Polícia Militar deixou de fazer esse tipo de contagem, em 2013. Na época, as discordâncias de métricas fizeram com que apenas os organizadores divulgassem as estimativas e essa regra é seguida até hoje, o que é uma pena, mas sigamos. Independente disso, é inegável que a presença de foliões neste ano supera a do período pré-pandemia. Os organizadores do Folia de Rua falam que a festa deste ano é a maior, em número de público, dos últimos 20 anos. As prévias carnavalescas na capital acontecem há 35 anos.

Alguns ingredientes devem ser considerados para a análise do sucesso do que temos visto nas ruas até agora. Além do já mencionado “fim do luto” de dois anos, houve uma participação maior do poder público no financiamento de atrações. A Prefeitura de João Pessoa e o governo do Estado deram suas contribuições. Isso permitiu, por exemplo, que a ministra Margareth Meneses (Cultura) se apresentasse no primeiro dia, no Ponto de Cem Réis. A praça ficou lotada. Os outros dias foram marcados por apresentações de nomes como Bell Marques, Natanzinho, Tatau, Psirico, Alok, Elba Ramalho e Fuba.

Nesta sexta-feira (17), a animação fica por conta do Cafuçu. O bloco é o queridinho de jornalistas e ativistas culturais. E a festa continua neste sábado, com a apresentação dos últimos blocos nos bairros da capital. O Cafuçu, como ocorreu com os principais blocos das prévias carnavalescas de João Pessoa, será transmitido ao vivo por um pool de emissoras de TVs Públicas. A relação inclui a TV Câmara, a TV Cidade e a TV Assembleia Legislativa. Através da Rede Folia, quem não puder ir para a avenida, terá como assistir tudo em casa. As imagens em alta definição chegam em 60 cidades em canal aberto.

Na última quarta-feira (17), no bloco Muriçocas do Miramar, o prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (PP), e o governador João Azevêdo (PSB) comemoraram o resultado da festa deste ano. Por tradição, festas com esta dimensão não saem do papel na Paraíba sem o apoio do poder público. O resultado deste apoio foi visto com a presença massiva do público neste ano. Que seja assim nos próximos.

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://abre.ai/suetoni

Palavras Chave