Executivo
Cartaxo volta ao PT e direção estadual já trabalha com perspectiva de lancá-lo para a disputa do governo
16/12/2021 19:02
Suetoni Souto Maior
Luciano Cartaxo (D) com o ex-presidente Lula. Foto: Divulgação

“O passado é uma roupa que não me serve mais”. Foi embalado por esse verso de Belchior que o Diretório Nacional do PT referendou, nesta quinta-feira (16), o retorno do ex-prefeito Luciano Cartaxo ao partido. O ex-gestor migrou em 2015 para o PSD e depois para o PV e, a partir de agora, trabalha na perspectiva de se capitalizar para a disputa do governo do estado no ano que vem. De acordo com o presidente do Diretório Estadual da sigla, Jackson Macedo, tudo vai depender das costuras de alianças que sejam firmadas daqui para o próximo ano, quando o martelo será batido.

Cartaxo conquistou 48 votos favoráveis e 14 contrários na reunião do Diretório Nacional que sacramentou a sua filiação. Ela ocorreu no mesmo dia em que o partido filiou, também, o senador Fabiano Contarato, do Espírito Santo. Ambos surgem como possibilidade de encabeçar chapas majoritárias nos seus respectivos estados no ano que vem. O ex-prefeito, que tem boa parte da sua trajetória política filiado ao PT, destacou a importância deste novo momento e reforçou a necessidade de uma gestão pública que invista no social, melhorando a vida da população.

“É com muita alegria que retorno à ‘casa’ onde iniciei minha trajetória política. Essa eleição será um divisor de águas e só Lula pode vencer a fome, a miséria e melhorar a vida do povo. Acredito que estamos em um momento histórico, onde o que está em jogo é o futuro da nossa população, que atualmente está carente de investimentos que tragam mais qualidade de vida”, destacou o ex-prefeito.

Cartaxo reforçou que o Brasil e a Paraíba precisam de uma forma de governar que retome a esperança em dias melhores para a população. “O Brasil vive hoje um momento de inflação acelerada, desemprego em alta e falta de oportunidades. Precisamos garantir um país e uma Paraíba mais justos, com mais respeito à democracia, à ciência e à liberdade de expressão. Ao lado do presidente Lula vamos batalhar para garantir esses direitos à população, por isso me sinto muito feliz e motivado com o retorno ao partido”.

O partido tentará, agora, atrair os apoios do PDT da vice-governadora Lígia Feliciano e de outras siglas da oposição ao governador João Azevêdo (Cidadania). O problema nesta equação é que o governador também tem buscado o diálogo com os petistas para tentar construir uma aliança para o ano que vem, com o apoio do ex-presidente Lula. A definição será tomada até o primeiro trimestre do ano que vem.

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://abre.ai/suetoni

Palavras Chave