Executivo
Após Lula marcar encontro com João, PT da Paraíba decide adiar reunião que definirá posição do partido no 2º turno
05/10/2022 14:44
Suetoni Souto Maior
Lula e João Azevêdo durante evento do Consórcio Nordeste, no ano passado, em Natal. Foto: Divulgação

O Partido dos Trabalhadores, na Paraíba, decidiu adiar para esta quinta-feira (6) a reunião que definirá a posição da sigla no segundo turno das eleições para o governo do Estado. A decisão ocorre no mesmo dia em que o governador João Azevêdo (PSB) viajou a São Paulo para uma reunião com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A expectativa dos socialistas é a de que ambos firmem aliança para o segundo turno. No primeiro, a sigla apoiou o senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB), que ficou apenas com o quarto lugar na disputa.

A reunião convocada pela Executiva do partido, na Paraíba, ocorreria às 17h, nesta quarta, praticamente o mesmo horário do encontro entre João e Lula em São Paulo, marcado para as 16h. A reunião entre os dois postulantes foi articulada pelo deputado federal Gervásio Maia (PSB) e pelo presidente nacional da sigla, Carlos Siqueira. Ambos vão acompanhar o governador no encontro, quando se espera que seja feita uma foto e que haja gravação de vídeo para a campanha. O guia eleitoral será retomado na próxima sexta-feira (7).

Na Paraíba, Lula conquistou 64,20% dos votos válidos ante 29,63% do presidente Jair Bolsonaro. Já João Azevêdo conseguiu 39,6% dos votos em uma eleição bastante disputada. O segundo colocado no pleito, Pedro Cunha Lima (PSDB) teve 23,9% dos votos. Para a reunião desta quarta, além de Lula e João Azevêdo, estarão também Gervásio, Carlos Siqueira e o candidato a vice-presidente, Geraldo Alckmin (PSB).

Procurado pelo blog, o presidente estadual do PT, Jackson Macedo, disse que o partido, no estado, vai seguir a orientação nacional. Ele assegura que o objetivo principal é eleger Lula e que isso vai nortear as alianças no Estado. O discurso dele está em linha com o de outros petistas históricos, a exemplo da deputada estadual Estela Bezerra. A parlamentar disse que o objetivo da sigla é deter o movimento “ultrafascista” encampado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), segundo declarações dadas por ela à imprensa. A crítica é direcionada ao grupo do deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB), candidato ao governo.

Nesta quarta-feira também, o Psol apresentou apoio “crítico” ao governador João Azevêdo. O partido teve candidatura própria no Estado, com Adjany Simplício e nacionalmente apoia o ex-presidente Lula.

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://abre.ai/suetoni

Palavras Chave