Executivo
UFPB retoma aulas presenciais na segunda-feira com cobrança do ‘passaporte da vacina’ e fiscalização do MPT
19/03/2022 10:21
Suetoni Souto Maior
Passaporte da vacina deve ser cobrado na portaria da UFPB. Foto: Reprodução

Os alunos, professores e funcionários da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) retornam às atividades presenciais, na próxima segunda-feira (21), com a cobrança do “passaporte da vacina”. A medida foi decidida pelos membros do Conselho Universitário (Consuni) da instituição de ensino superior no mês passado e ainda tem gerado incertezas na comunidade acadêmica. Entre a decisão daquele 25 de fevereiro e a prática, poucas informações sobre a efetivação da medida foram divulgadas. Isso ocorreu porque a medida não foi disciplinada pelo Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe), como o previsto.

Os professores e servidores, portanto, não sabiam como funcionaria a cobrança do passaporte da vacina até a última quinta-feira (17), quando representantes da Associação dos Docentes da UFPB (Aduf-PB), do Sindicato dos Trabalhadores em Ensino Superior da Paraíba (Sintes-PB) e diretores de centro se reuniram com o procurador do Ministério Público do Trabalho, Eduardo Varandas. Foi do representante do MPT que eles receberam a notícia de que haveria a cobrança da comprovação da vacina. O procedimento foi comunicado ao Ministério Público, que acompanha o retorno das atividades na instituição de ensino.

Ao blog, Eduardo Varandas disse que o MPT vai fiscalizar o cumprimento da medida, que contou inicialmente com a oposição do reitor Valdeiney Veloso. A ação deve ter a participação, também, do Ministério Público Federal. O ofício circular disponibilizado no site da UFPB traz apenas a informação de que o retorno às aulas deverá ser feito com o ciclo completo da vacinação contra a Covid-19. Não traz nada sobre como será feita a cobrança. Ao Ministério Público do Trabalho, a reitoria disse que a cobrança ocorrerá nos pontos de entrada dos campi.

O ofício circular publicado pelo site também diz que foram adotadas medidas para a garantia da segurança, como distanciamento entre alunos e professores e a colocação de recipientes com álcool 70% nas salas de aulas e corredores. Mas há problemas ainda relatados pelos professores e dirigentes da UFPB. A diretora de centro do Campus IV, Angeluce Soares, em ofício encaminhado ao reitor, demonstrou preocupação com a baixa disponibilidade de vigilantes para executar a cobrança do passaporte da vacina na entrada do Campus. Há apenas um em cada um dos campi da instituição para cobrir os três horários: manhã, tarde e noite.

De prático, sabemos que haverá a cobrança do passaporte na entrada dos campi. O conselho para professores, alunos e servidores é que acordem cedo e cheguem na instituição com o documento na mão. Os transtornos serão inevitáveis.

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://abre.ai/suetoni