Judiciário
TJPB determina prisão de policiais de Sergipe que mataram advogado paraibano
24/08/2021 14:57
Suetoni Souto Maior
Gefferson de Moura foi assassinado pela polícia quando viajava para Cajazeiras para encontrar o pai. Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) determinou nesta terça-feira (24) a prisão preventiva dos policiais de Sergipe que mataram o advogado paraibano Geffeson de Moura Gomes, durante operação atrapalhada no Estado. A decisão atendeu recurso protocolado pelo Ministério Público Estadual. Oswaldo Resende Neto, José Alonso de Santana e Gilvan Morais de Oliveira cometeram o crime no dia 16 de março deste ano, no município de Santa Luzia, no Sertão paraibano.

O advogado paraibano tinha 32 anos quando foi morto durante abordagem policial. O processo (Recurso em Sentido Estrito nº 0806675-20.2021.8.15.0000) começou a ser julgado na sessão do dia 17 de agosto, tendo na ocasião o relator, juiz convocado Carlos Antônio Sarmento, votado a favor do recurso. Na sequência, o desembargador Arnóbio Alves Teodósio pediu vista dos autos. Já na sessão desta terça-feira, ele acompanhou o relator, sendo seguido pelo desembargador Ricardo Vital de Almeida.

O Ministério Público interpôs recurso perante a Câmara Criminal contra decisão do Juízo da Vara Única de Santa Luzia que denegou o pedido de prisão preventiva dos suspeitos, formulado com suporte na conveniência da instrução processual e garantia da ordem pública. Eles foram denunciados como incurso nas penas do artigo 121, § 2º, incisos I, III e IV e art. 347, caput, do Código Penal c/c art. 20, § 3º, artigo 29, caput, e artigo 73, caput, todos do Código Penal e Lei Federal nº 8.072/1990. A denúncia foi recebida em todos os termos pelo juiz Rossini Amorim Bastos.

Gefferson estava indo para Cajazeiras buscar o pai, que estava infectado com Covid-19, para levá-lo para João Pessoa, quando foi surpreendido por um delegado sergipano. Durante a abordagem, os policiais acabaram disparando contra o advogado, que chegou a ser lavado a um hospital, mas já chegou sem vida. Ao ser abordado pela polícia, o homem que conduziu o corpo se identificou como policial civil de Sergipe.

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://abre.ai/suetoni

Palavras Chave