Executivo
Tentando se firmar como terceira via, Sérgio Moro faz teste de popularidade numa Paraíba majoritariamente pró-Lula
29/12/2021 10:26
Suetoni Souto Maior
Sérgio Moro foi absolvido pelo TRE do Paraná, mas houve recurso para a instância superior. Foto: Wilson Dias/Arquivo/Agência Brasil

O ex-juiz e ex-ministro Sérgio Moro (Podemos) estará na Paraíba no dia 6 de janeiro. Vem acompanhado de dirigentes do partido e do deputado federal paraibano Julian Lemos (PSL). Na visita ao Estado, o ex-magistrado vai lançar o livro “Contra o Sistema de Corrupção” e buscará apoio para a disputa em um dos estados onde o ex-presidente Lula (PT) possui melhor avaliação, segundo as pesquisas. Moro tenta crescer eleitoralmente para se firmar como potencial candidato da terceira via, numa disputa polarizada entre o petista e o presidente Jair Bolsonaro (PL), ambos desafetos do ex-juiz da Lava Jato.

Da vez que veio à Paraíba como juiz, em 2017, Moro era retratado como figura central no enfrentamento da corrupção no país. Quatro anos e alguns escândalos e atropelos depois, chega também obrigado a dar explicações sobre as atuações à frente da Lava Jato e depois dela. As acusações de uso político da operação para retirar o principal adversário do presidente Jair Bolsonaro da disputa nas eleições de 2018 ganharam força com a posterior nomeação para integrar o governo bolsonarista. Mais recentemente, Moro se tornou alvo de investigação do Tribunal de Contas da União (TCU) por sua atuação na consultoria Alvarez & Marsal.

Na Paraíba, Moro terá como principal anfitrião Julian Lemos, que fez o mesmo no passado por Bolsonaro. O parlamentar paraibano é também um dos principais entusiastas da possível candidatura de Moro e trabalha para que o União Brasil (junção do PSL com o DEM) formalize apoio ao ex-juiz. Aqui na Paraíba, ele encontrará dificuldade também para a composição de um palanque. Recentemente, o presidente do Podemos no Estado, Júnior Pires, anunciou apoio ao governador João Azevêdo (Cidadania), que tenta se consolidar como candidato de Lula no Estado.

Moro tenta nas andanças pelo país atrair principalmente o eleitor conservador, o mesmo disputado pelo presidente Jair Bolsonaro. O caminho traçado é o de ocupar o lugar do ex-aliado em um eventual segundo turno contra o ex-presidente Lula. O cálculo feito por aliados é que o eleitorado anti-PT garantiria viabilidade eleitoral na disputa. Para isso, o caminho é disputar primeiro os votos no campo da direita, mas sem perder a oportunidade de atacar o ex-presidente. Foi Moro o responsável pela condenação do petista em 2018, em ação que ruiu após o escândalo que ficou conhecido por Vaza Jato.

O ex-juiz filiou-se ao Podemos neste ano e desde então tem percorrido o país em busca de viabilidade eleitoral. A passagem pela Paraíba é mais uma peça nesta engrenagem. O resultado disso veremos em breve.

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://abre.ai/suetoni