Judiciário
Operação Lobos 2: Polícia Federal cumpre mandados em João Pessoa contra esquema internacional de exploração sexual infantil
03/12/2021 08:09
Suetoni Souto Maior
Operação cumpre mandados em pelo menos 20 estados. Foto: Divulgação/Polícia Federal

A Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão em João Pessoa nesta sexta-feira (3) contra um esquema internacional de pornografia infantil. A Operação Lobos 2 foi desencadeada, a partir de Pernambuco, contra suspeitos de abuso sexual de crianças e de adolescentes e de produzir, divulgar e armazenar pornografia infantil. Além disso, a ação busca localizar e resgatar vítimas que possam estar em situação de extrema violência.

Ao todo, nesta sexta-feira, foram emitidos oito mandados de prisão preventiva e 104 de busca e apreensão, distribuídos em 20 estados, incluindo Paraíba, Pernambuco e Distrito Federal. As cidades onde estão sendo cumpridas as ordens judiciais e os nomes dos alvos não foram divulgados. Em 2019, em ação anterior, de acordo com o G1, um homem apontado pela PF como um dos principais difusores de pornografia infantil do mundo foi preso em Pernambuco, em 2019.

O delegado Renato Cintra, responsável pelas investigações, explicou que esse homem, que não teve o nome divulgado, era apontado como o alvo número um do mundo. Ele era dono de cinco dos maiores fóruns do mundo sobre o tema, com páginas com sobre estupro de bebês, crianças ou com violência que eram acessadas por 1,8 milhão de pessoas, disse a polícia. De acordo com a PF, todo o conteúdo ilícito era vinculado na darkweb e uma parte da deepweb.

A Polícia Federal em Pernambuco, em conjunto com polícias de outros países, investigava desde 2016 uma rede de abuso e produção de pornografia infantil. “Um dos administradores do fórum estava aqui em Pernambuco e foi preso em 2017”, disse o delegado. Foi assim que o delegado chegou ao homem que seria um dos principais difusores desse tipo de material ilícito no mundo.

De acordo com a investigação, intensificada após a prisão, um grande esquema comandado por ele que envolvia a divisão de tarefas de pessoas como arregimentadores, administradores, moderadores, provedores de suporte de hospedagem, produtores de material, disseminadores de imagens, entre outros. Ao todo, foram mais de cinco anos de investigação. Os crimes investigados na Operação Lobos II são a venda, produção, disseminação e armazenamento de pornografia infantil e estupro de vulnerável, sem prejuízo de outros que possam surgir com a continuidade das investigações.

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://abre.ai/suetoni

Palavras Chave