Judiciário
Operação da PF deflagrada nesta quarta “visita” velhos conhecidos nas investigações da Calvário
08/03/2023 07:40
Suetoni Souto Maior
Operação mira denúncia de suposto superfaturamento durante a pandemia. Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal desencadeou nesta quarta-feira (8) a operação Terceira Estação. A ação apura a prática de crimes relacionados a suposta fraude na contratação, desvio de recursos públicos, corrupção e lavagem de dinheiro na aquisição de mobiliário escolar pela Secretaria de Educação do Estado da Paraíba. Ao todo, estão sendo cumpridos cinco mandados de busca e apreensão em João Pessoa e Taquaritinga (SP). Entre os alvos, de acordo com informações de bastidores estão um ex-secretário de Estado e um comunicador.

As suspeitas são de que os supostos ilícitos teriam ocorrido em 2017, penúltimo ano da gestão do ex-governador Ricardo Coutinho (PT). Assim como ex-auxiliar que não teve o nome revelado, o ex-mandatário foi alvo de várias denúncias no curso da operação Calvário, do Ministério Público da Paraíba. Além da PF, a ação desencadeada nesta quarta conta com a participação de Ministério Público Federal, Controladoria-Geral da União (CGU) e Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), do MPPB. Os mandados de busca e apreensão foram expedidos pela Justiça Federal.

O nome da operação remete à Via Sacra, representada por 14 (quatorze) estações que reproduzem o trajeto percorrido por Jesus Cristo até o Monte Calvário. A Terceira Estação representa a primeira queda de Jesus Cristo ao carregar a cruz, símbolo do pecado e da devassidão humana.

A operação Terceira Estação decorreu do esforço investigativo e do compartilhamento de parte do material probatório obtido pela Operação Calvário. As penas somadas podem chegar a 39 anos de prisão.

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://abre.ai/suetoni

Palavras Chave