Legislativo
Julian critica radicalismo e ironiza proximidade de Bolsonaro com Jefferson, Collor e Ricardo Barros
07/09/2021 08:51
Suetoni Souto Maior
Reprodução

Ex-aliado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o deputado federal Julian Lemos (PSL) usou as redes sociais nesta terça-feira (7) para criticar a radicalização estimulada pelo gestor. Ele aproveitou para criticar o fato de Bolsonaro ter sido eleito sob a bandeira do combate à corrupção e estar ao lado, hoje, de algumas das figuras mais conhecidas da política pelo envolvimento com desvio de dinheiro público. A lista citada inclui o ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ), o ex-presidente Fernando Collor (PP-AL) e o deputado federal Ricardo Barros (PP-PR).

Jefferson foi alvo dos processos do Mensalão e do Petrolão e chegou a ser condenado pela participação nos ilícitos. Já Fernando Collor, envolvido em denúncias de corrupção, foi alvo de um processo de impeachment em 1992. Hoje é senador por Alagoas e se tornou alvo da operação Lava Jato também. Por fim, Ricardo Barros é um dos principais alvos das investigações da CPI da Pandemia, no Senado, por causa de denúncias de envolvimento em esquemas para desviar dinheiro da compra de vacinas.

“Serei sempre a favor do fortalecimento da democracia e de um país livre de qualquer radicalismo. Porém serei crítico dessa farsa, corruptos travestidos de patriotas. O perfil mudou, os Robertos Jeffersons, Collor Melo, Roberto Barros são o próprio sistema que tanto combatíamos”, disse Julian Lemos, em referência também à movimentação de militantes políticos estimulada pelo presidente com ameaças à democracia e às instituições democráticas. Os atos foram marcados para esta terça, com foco principalmente em Brasília (DF) e em São Paulo (SP).

Lemos também usou uma frase atribuída ao dramaturgo e escritor paraibano Ariano Suassuna para reforçar a crítica ao radicalismo.

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://abre.ai/suetoni

Palavras Chave