Executivo
Filiação de Ricardo Coutinho ao PT é articulada com aval de Lula e Gleisi
27/07/2021 12:49
Suetoni Souto Maior

A possível filiação do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) ao Partido dos Trabalhadores está sendo negociada com o aval do ex-presidente Lula e da presidente nacional do partido, a deputada federal Gleisi Hoffmann (PR). Uma foto emblemática foi publicada pelo socialista no Instagram, nesta terça-feira (27), com a legenda “Seguimos juntos por Democracia, Trabalho e Saúde para o nosso povo, no Brasil e na Paraíba. Venceremos”. A foto faz referência a um encontro recente do socialista com o petista, em São Paulo.

A informação sobre as articulações para a filiação é do presidente estadual da sigla, Jackson Macedo. O dirigente explica que as conversas estão maduras, mas evitou fechar questão. “O que eu posso dizer é que vou lutar internamente, dentro do partido, para que essa adesão aconteça”, explicou. O objetivo é atrair para o partido também, visando as eleições do próximo ano, socialistas como os deputados estaduais Jeová Campos, Cida Ramos e Estela Bezerra. “São companheiros valorosos e que tiveram uma história longa e marcante dentro do PT”, acrescentou.

A possível filiação de Ricardo Coutinho no PT deve encontrar resistência de parte significativa da legenda. Na eleição para prefeito, no ano passado, o deputado estadual Anísio Maia peitou a direção nacional do partido e disputou a prefeitura de João Pessoa batendo chapa com o ex-governador. Isso apesar de a direção nacional ter assegurado o apoio ao socialista no pleito. O petista, respaldado pela direção municipal do partido, se mantém na base de apoio do governador João Azevêdo (Cidadania).

O ex-presidente Lula deve vir à Paraíba no próximo mês e a expectativa dos petistas é que o assunto seja aprofundado até lá. Caso haja a filiação do socialista ao PT, que foi seu antigo partido, haverá dificuldades para o movimento do governador João Azevêdo (Cidadania) visando o apoio do petista para a disputa da reeleição. Outro que busca o apoio do petista é o ex-prefeito Luciano Cartaxo (PV).

A aproximação de Ricardo com o antigo partido acontece no momento em que o socialista enfrenta uma série de denúncias de corrupção, formuladas pelo Ministério Público. Ele se tornou alvo da operação Calvário, desencadeada pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco). Para piorar a situação, o ex-governador ainda foi considerado inelegível pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e teve as contas referentes a 2017 rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Para ser candidato em 2022, ele terá que conseguir um efeito suspensivo na Justiça.

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://abre.ai/suetoni