Executivo
Enterros de mortos por Covid-19 triplicam em João Pessoa neste mês
12/03/2021 09:37
Suetoni Souto Maior
Sepultamentos vêm se multiplicando no país desde o último mês. Foto: Vladimir Platonov/ABr

Para os negacionistas, vai aqui um alerta muito sério. Os sepultamentos de mortos por Covid-19, em João Pessoa, triplicaram nos últimos dias. Em apenas 11 dias do mês de março, foram enterradas mais pessoas nos cemitérios públicos da capital que no mês de janeiro, isso quando o assunto diz respeito exclusivamente às mortes em decorrência da pandemia do novo Coronavírus. Em janeiro, 80 pessoas foram sepultadas nos cemitérios públicos. Este número subiu para 83 em apenas 11 dias de março.

Os números fizeram acender o sinal de alerta na Prefeitura de João Pessoa. Já havia a informação de que os cemitérios privados enfrentavam crescimento de 30% na demanda. Agora, os números mostram um quadro ainda mais dramático nos públicos. O chefe de gabinete da Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Capital, Eduardo Pedroza, estima que o número de sepultamentos chegará a 250 só com vítimas da Covid-19 se as pessoas não tomarem cuidado. Os dados reforçam a necessidade do isolamento social e das medidas mais duras, adotadas pela prefeitura.

Enterros em 2021, de vítimas da Covid-19

Janeiro: 80

Fevereiro: 88

Março: 83 (considerando apenas 11 dias)

Ao todo, existem seis cemitérios públicos em João Pessoa. A Prefeitura vem buscando desde o início do ano, com base no Plano de Contingência, ampliar o número de vagas nos jazigos rotativos. Os ossos de pessoas sepultadas há mais de dois anos estão sendo recolhidos para os ossários, para abrir espaço para as vítimas da Covid-19. A administração municipal firmou parceria, inclusive, com os cemitérios privados para o atendimento à população mais carente, caso haja necessidade.

Os números foram tornados públicos, também, na semana em que o prefeito Cícero Lucena (Progressistas) anunciou a prorrogação das medidas restritivas para evitar aglomerações. O decreto municipal, publicado em edição extra do Semanário Oficial, na última quarta-feira (10), mantém o toque de recolher das 22h às 5h e estabelece escalonamento no horário de funcionamento dos estabelecimentos comerciais autorizados a abrir as portas. Além disso, durante dois finais de semana, apenas as atividades essenciais estão autorizadas a funcionar presencialmente.

As medidas do município valem até o dia 26 deste mês e seguem na mesma linha do que foi adotado em decreto pelo governo do Estado. As restrições foram tornadas públicas no mesmo dia em que a Paraíba bateu recorde de mortes, com 50 em 24 horas. O quadro é o pior já visto desde o início da pandemia. Ao todo, 232 mil pessoas já foram contaminadas pelo novo Coronavírus e, delas, 4.797 morreram. A ocupação nas Unidades de Terapia Intensiva no Estado supera a casa dos 90%. A Região Metropolitana de João Pessoa apresenta o pior quadro.

Confira as medias restritivas contidas no Decreto.

As novas definições ocorrem num momento de extrema preocupação com as condições sanitárias do Estado. De acordo com a 20ª avaliação do Plano Novo Normal Paraíba (PNNPB), divulgada nesse sábado (6), 95% (211) dos municípios paraibanos estão em bandeira laranja; 4% (8 municípios) figuram em bandeira vermelha e apenas 4 municípios têm bandeira amarela, representando uma redução de 97% em relação à avaliação anterior, a menor participação desta bandeira desde o início dos ciclos avaliativos do PNNPB.

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se:

https://chat.whatsapp.com/LjSHneKlLUKKzBM0oa0Lpd

Palavras Chave