Executivo
“Dia do Jagunço”: internautas reagem a foto de “agricultor” armado e governo apaga imagem
28/07/2021 16:49
Suetoni Souto Maior
Imagem publicada pela Secom do governo federal foi retirada do ar após polêmica. Foto: Reprodução/Twitter

Não era de se esperar outra coisa. Depois de críticas intensas nas redes sociais, a Secretaria de Comunicação (Secom) do governo federal retirou das redes sociais a foto de um homem armado usada para homenagear o Dia do Agricultor. No Twitter, várias hashtags se alternaram entre na lista das mais acessadas. Na propaganda gestada pelos auxiliares do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o armamento dos “agricultores” foi colocado como ação de destaque da atual gestão. Mensagens relacionadas à produção e aos negócios foram deixadas de lado.

Não demorou para que a hashtag #DiadoJagunço ganhasse espaço no microblog. Repercutiram, também, críticas ao desvirtuamento do Dia do Agricultor. As reclamações vieram de internautas e políticos. A Secom silenciou sobre o assunto, mesmo com os questionamentos da imprensa. Momentos depois, a foto foi apagada e substituída por uma mais neutra, porém, com a mesma pegada de posicionamento contra as ocupações de terra, mas também inserindo informações sobre o Seguro Safra.

O tuíte que recebeu diversas críticas dos usuários era ilustrado por uma imagem retirada do site iStock, que é pago. Neste portal, a foto tem a seguinte a descrição: “Silhueta de caçador carregando espingarda no ombro e observando”. O Ministério da Agricultura também não quis se pronunciar. A Secom é ligada ao Ministério das Comunicações, que é comandado pelo ministro Fábio Faria, indicado pelo centrão.

A Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) afirmou que “repudia totalmente essa postagem feita nas redes oficiais do governo e, enquanto representante dos agricultores e agricultoras familiares, expressa a sua indignação”. A Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) disse que não vai se pronunciar. E a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) não respondeu até a última atualização da reportagem.

O Sindicato Nacional dos Peritos Federais Agrários (SindPFA) afirmou que a manifestação “é uma demonstração indigna de quem tomou o lado do escravagista, do jagunço, do capitão do mato, do grileiro e do desmatador, que ignora a realidade de um país que ainda não se reconciliou com seu passado, marcado pela destinação da terra a endinheirados, marginalizando a população”. “É, sobretudo, um escárnio para com as muitas famílias e vítimas da violência no campo, como as do massacre de Eldorado dos Carajás, que completou 25 anos recentemente”, disse a entidade, em nota.

Veja postagens de políticos e internautas:

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://abre.ai/suetoni

Palavras Chave