Judiciário
Áudios mostram que dono da Braiscompany previa ação da PF e teria usado família da mulher para ocultar patrimônio
08/08/2023 20:00
Suetoni Souto Maior
Antônio Neto e Fabrícia estavam sendo procurados pela Polícia Federal há um ano. Foto: Divulgação

A denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra sócios e funcionários da Braiscompany, recebida nesta terça-feira (8), pela 4ª Vara da Justiça Federal na Paraíba, mostra uma sofisticada articulação do casal Antônio Inácio da Silva Neto e Fabrícia Farias para esconder os bens fruto do suposto esquema de corrupção. Áudios em poder da Polícia Federal indicam que dias antes de serem alvos de operação da PF, eles orientaram parentes a quitarem bens supostamente com dinheiro do esquema, para proteger o patrimônio do casal. As informações foram publicadas no blog do jornalista João Paulo Medeiros, do Jornal da Paraíba.

A denúncia tem 330 páginas e implica, além do casal, o grupo formado por Victor Hugo Lima Duarte, Mizael Moreira Silva, Sabrina Mikaelle Lacerda Lima, Arthur Barbosa da Silva, Flávia Farias Campos, Fernanda Farias Campos, Clélio Fernando Cabral do Ó, Felipe Guilherme da Silva Souza, Gesana Rayane Silva, Fabiano Gomes da Silva e Deyverson Rocha Serafim. Todos foram tornados réus na investigação. Antônio Neto e Fabrícia estão foragidos há vários meses e são procurados em outros países, além do Brasil.

Em um dos áudios, Antônio Neto conversa com Flávia Farias Campos, irmã de Fabrícia, e passa orientações sobre como ela deve proceder para quitar o veículo BMW usado por ela. Ele diz para a cunhada procurar o banco e pagar antecipadamente pelo veículo. A pressa é para que ele esteja regularizado e no nome dela antes da operação da Polícia Federal. O diálogo teria ocorrido, conforme a PF, no dia 10 de fevereiro. De acordo com a investigação, o veículo em questão é avaliado em R$ 180 mil.

Em outro áudio, a Antônio Neto fala com Felipe Souza, marido de Fernanda Farias Campos, também irmã de Fabrícia. Neste caso, a orientação é para que seja quitado o pagamento de uma fazenda e que ela seja passada para o nome do casal. Neste momento, ele antecipa a previsão de “turbulências” que terão pela frente, em clara referência às operações da Polícia Federal. O grupo foi alvo das operações Halving, Select e Select II, deflagradas, respectivamente, em 16 de fevereiro, 18 de abril e 18 de maio de 2023.

A operação investiga uma movimentação financeira de R$ 2 bilhões feita pela Braiscompany em criptoativos. Dois mandados de prisão foram expedidos tendo como alvos o empresário, Antônio Neto, e a esposa dele, Fabrícia Farias Campos. Os dois continuam foragidos. Na operação a Justiça Federal também determinou o bloqueio de bens e a suspensão parcial das atividades da empresa.

Quer receber todas as notícias do blog através do WhatsApp? Clique no link abaixo e cadastre-se: https://abre.ai/suetoni

Palavras Chave